Translate

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Mágicos: Petrus Christus

Petrus Christus (c. 1410 a 1420 - 1473), O Juízo Final, 1452. Col. Gemäldegalerie, Berlim

O mais hermético dos pintores flamengos nunca foi igualado nesta visão de São Miguel e do que ele representa numa longa tradição de Iniciadores: avatar do poder de transmutação da mente, o que ocorre em cada juízo que reconhece, e escolhe, por entre o fluxo aleatório mente-matéria, o fio que é ou virá a ser ordenador geométrico na direção da beleza e do Bem.

O Juízo Final nada tem a ver com pecadores ou a Humanidade. Acontece numa cabeça. O Arcanjo S. Miguel representa as faculdades de agir para desencadear ou defender a invocação do bem como princípio ordenador, oposto à simples aleatoriedade da matéria inorgânica e da vida sensorial primitiva que ainda mantêm desordenado o fluxo do Ser. Por isso tem por atributos a espada que recorta e o escudo que proteje. Por acaso representam também a proporção aúrea na sua geometria estelar mais visível neste planeta, constelação à qual os homens primeiro ergueram dolmens e depois os telhados de todas as casas em homenagem... Tudo é fractal.